• Início

Nota de imprensa - CDU divulga Mandatário e Candidatos ao Círculo da Europa

A Direcção da Organização do PCP na Emigração torna público o Mandatário e a lista de candidatos da CDU, pelo Círculo da Emigração - Europa - às próximas Eleições para a Assembleia da República, em 30 de Janeiro de 2022.

 

Mandatário

amadeubatel sueciaAmadeu Batel (Suécia)

76 anos.

Professor universitário, aposentado, de Língua, Literatura e Cultura Portuguesas na Universidade de Estocolmo, Suécia.

Vasto percurso no movimento associativo, federativo e intercomunitário.

Desempenhou vários cargos directivos no Lusitânia - Associação Portuguesa de Estocolmo.

Foi Presidente, de 1987 a Abril de 2019, da Federação das Associações Portuguesas da Suécia.

Vice-Presidente do Conselho Permanente do Conselho das Comunidades Portuguesas.

Membro do PCP.

 

Candidatos

Joana de Abreu Carvalho EuropaJoana de Abreu Carvalho (Reino Unido)

43 anos.

Licenciada em Biologia e doutorada em Biotecnologia.

Trabalha no Reino Unido, no desenvolvimento de terapias para oncologia e doenças infecciosas.

Foi quadro técnico de várias empresas de biotecnologia no Reino Unido e na Dinamarca.

Membro do PCP.

 

 

nuno garciaNuno Gomes Garcia (França)

43 anos.

Arqueólogo de formação.

Escritor. Tem várias obras publicadas.

Foi Mandatário para o círculo da Emigração na Europa para as candidaturas de Edgar Silva e João Ferreira à Presidência da República.

Membro do PCP.

 

 

nuno simoesNuno Simões (Suiça)

44 anos

Enfermeiro

Membro do conselho consultivo do Consulado Geral de Portugal de Genebra.

Presidente da Associação Cultural Tuna Helvética.

Membro do PCP.

 

 

 

ines lisboaInês Lisboa (Alemanha)

31 anos.

Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas.

Gestora de Projectos na indústria dos videojogos.

Foi Membro da Associação de Estudantes da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Membro do PCP.

 

 

As próximas eleições para a Assembleia da Republica revelam-se de enorme importância para o País e para as comunidades portuguesas. No próximo dia 30 de Janeiro de 2022, os portugueses residentes nos países do Círculo Eleitoral da Europa vão ter a oportunidade de eleger deputados comprometidos com a defesa dos seus interesses e aspirações.

Nestas eleições hã que dar voz aqueles que colocam a defesa dos Interesses e aspirações das comunidades portuguesas como seu único objectivo.

Os candidatos da CDU estão na política não para se servir, não para se promover, mas para servir os trabalhadores e o povo, para defender os interesses e aspirações das comunidades portuguesas, e para apresentar propostas e soluções que possam dar resposta aos desafios e aos problemas com que as comunidades portuguesas na diáspora estão confrontadas.

São candidatos com uma profunda ligação à vida, às comunidades emigrantes. Homens e mulheres com provas dadas na luta pelos direitos, pela defesa daqueles que vivem e trabalham fora de Portugal.

Com a divulgação da lista de candidatos pelo Circulo da Emigração - Europa - a CDU apresenta-se a estas eleições como força portadora de uma alternativa política para as comunidades portuguesas na diáspora.

Lisboa, 20 de Novembro, 2021

A DOE do PC

Attachments:
Download this file (CDU.pdf)CDU.pdf[mandatario_e_candidatos]88 kB

Imprimir Email

Modo de exercício do direito ao voto para os eleitores residentes na estrangeiro

eleicoes voto emigrantes 1Modo de exercício do direito ao voto

Para os eleitores residentes na estrangeiro

Uma das alterações introduzidas na Lei Eleitoral da Assembleia da República (Lei nº 14/79, de 16 de maio ), diz respeito ao “modo de exercício do direito ao voto” dos eleitores residentes no estrangeiro, que passam a ter direito de opção entre o voto presencial e o postal, desde que manifestem essa opção junto da respectiva Comissão Recenseadora, antes da marcação do dia das eleições pelo Presidente da República. A data marcada para as eleições é a do dia 30 de Janeiro de 2022.

(Extractos da Lei - Diário da República, 1ª série — N.º 158 — 17 de Agosto de 2018)

Artigo 79.º - F

Direito de opção dos eleitores residentes no estrangeiro

1 — A opção entre o voto presencial ou voto por via postal por parte dos eleitores residentes no estrangeiro é feita junto da respetiva comissão recenseadora até à data da marcação de cada ato eleitoral.

2 — Os eleitores recenseados no estrangeiro que não exerçam o seu direito de opção entre votar presencialmente ou votar por via postal até à data da convocação de cada ato eleitoral, votam por correspondência.

3 — A opção referida no número anterior pode ser alterada a todo o tempo junto da respetiva comissão recenseadora no estrangeiro, salvo no período entre a data da marcação e a de realização de cada ato eleitoral.

Fonte: Comissão Nacional de Eleições

Imprimir Email

Mais artigos...