Faleceu o camarada Manuel Beja

20180930 manuel bejaA Direcção da Organização da Emigração do Partido Comunista Português, dirige à companheira e restante família do camarada e amigo Manuel Beja, as mais sentidas condolências.

Desapareceu de entre nós um homem bom e generoso, um comunista convicto, membro do PCP desde 1974. Fica-nos a força do seu exemplo de vida, para continuarmos a luta.

O camarada Manuel Beja foi um militante incansável, ligado aos problemas concretos e à luta pela defesa dos direitos e interesses não só dos trabalhadores portugueses a viverem na Suíça, mas de todos os portugueses que tiveram que procurar no estrangeiro melhores condições de vida e de trabalho.

 Lutador corajoso, interveniente e participativo destacou-se como Secretário Sindical, como dirigente do Movimento Associativo, como membro do Conselho das Comunidades Portuguesas e, já reformado, como Presidente da Associação de Reencontro dos Emigrantes (ARE).

A atribuição em 2007, pela Presidência da República, do grau de Comendador da Ordem de Mérito, reconheceu, em parte, o seu trabalho em prol das comunidades portuguesas.

Para os amigos e camaradas que com ele lutaram e conviveram, o camarada e amigo Manuel Beja, merece todo o nosso respeito e reconhecimento e será recordado como exemplo de um comunista, que em todas as áreas em que interveio, soube defender os trabalhadores, os princípios e ideais comunistas e prestigiar o seu Partido.

Obrigada Manuel Beja.

A luta continua.

P'l Direcção da Organização da Emigração

30 Setembro 2018

 

 

Alguns dados biográficos:

 

Manuel Afonso Lourenço Beja, natural de Alcobaça, nasceu em Fevereiro de 1944.

Começou a trabalhar aos 11 anos e mais tarde como trabalhador estudante, frequentou a escola secundária, onde teve como professor, o grande Zeca Afonso.

A vida do camarada Beja, foi uma vida plena de exemplos, de como se pode lutar, por vezes em condições de extrema dificuldade.

Grande opositor da guerra colonial, com as pressões contínuas da PIDE, viu-se confrontado com a necessidade de emigrar. Primeiro instalou-se em Paris,  de seguida na Holanda e na Alemanha, até chegar a Zurique em Abril de 1971.

Destacou-se como locutor e produtor de programas de Rádio regional em quatro rádios, na sua luta antifascista contra a ditadura de Salazar. Mais tarde foi fundador do programa radiofónico « Espaço Português » de língua portuguesa transmitido pela « Rádio Lora ».

Com a Revolução de Abril de 1974, regressou a Portugal para integrar a luta revolucionária do povo português, mas meses depois voltou a Zurique - Suíça.

Foi em Zurique que, juntamente com outros companheiros, alargou as raízes do movimento Associativo, tendo sido membro da Associação Portuguesa de Zurique, da Comissão de Estrangeiros da Comunidade de ZH, da Comissão Nacional da Migração da União Sindical Suíça (USS); foi presidente, durante muitos anos, da mesa da Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Zurique.

Foi eleito como membro do Conselho das Comunidades Portuguesas durante três mandatos.

Em 2007, a Presidência da República concedeu-lhe a comenda da Ordem de Mérito pelo trabalho realizado em prol das comunidades portuguesas.

Membro do Partido Comunista Português desde Novembro de 1974 até ao fim da vida.

Foi primeiro candidato, pelo Círculo Eleitoral da Europa, em duas eleições legislativas.

Durante muitos anos, pertenceu ao Organismo de Direcção Nacional da Suíça e ao Organismo de Coordenação da Emigração na Europa do PCP.

 

ImprimirEmail