100 anos Revolução Outubro

2017 logo centenario revolucao outubro cor

Newsletter

Assinar Newsletter


Receber em HTML?

PCP solidário com Dilma Rousseff

20150315 pcp dilmaA presidente eleita do Brasil, destituída do cargo em Agosto de 2016, foi recebida ontem na sede da Soeiro Pereira Gomes, onde Jerónimo de Sousa denunciou o processo que conduziu à sua ilegítima destituição.

O secretário-geral do PCP recebeu esta tarde Dilma Roussef, no âmbito da sua visita a Portugal. No decorrer do encontro, Jerónimo de Sousa reafirmou a posição solidária dos comunistas portugueses para com a presidente eleita do Brasil, bem como a denúncia e a condenação do golpe que conduziu à sua destituição do cargo, considerando tratar-se de uma operação golpista contra um processo de sentido progressista e de afirmação soberana, no Brasil, que se iniciou em 2003, com a eleição de Lula da Silva.

No encontro, foi ainda reafirmada a solidariedade do PCP para com os comunistas e outras forças progressistas brasileiras, face à ofensiva contra os direitos, a democracia e a soberania do Brasil levada a cabo pelo governo golpista de Michel Temer.

Destituição resultou de um golpe parlamentar

Dilma Rousseff, que se encontra em Lisboa para dar a conferência «Neoliberalismo, desigualdade, democracia sob ataque», participou, esta manhã, num encontro com a imprensa na Fundação José Saramago. Ali, afirmou que o processo que culminou no seu impeachment resultou de um golpe parlamentar, com o apoio de alguns sectores financeiros e empresariais, visando atacar o ciclo de vitórias do Partido dos Trabalhadores.

Concretizada a destituição, está em curso um golpe social no Brasil, marcado pelo ataque aos direitos. Dilma chamou a atenção para a emenda constitucional que congela por 20 anos a despesa pública primária, assim como para a desconstrução da Previdência. Neste sentido, a presidente considera que o Brasil se encaminha para uma situação económica, política e social muito difícil.

In abrilabril.pt