100 anos Revolução Outubro

2017 logo centenario revolucao outubro cor

Newsletter

Assinar Newsletter


Receber em HTML?

Falecimento do camarada Rui Paz

3_rui_paz
Nota da Direcção da Organização na Emigração do PCP

A DOE do PCP informa, com profunda mágoa e tristeza, o falecimento de Rui Clemente Paz, membro do PCP desde 1974 e responsável da organização do PCP na Alemanha.

Rui Paz era natural de Lisboa e tinha 64 anos.

Era músico, compositor e professor de harpa, tendo terminado o curso no Conservatório Nacional de Lisboa com 20 anos.

Leccionou harpa na FolkWang Musikschule em Essen, região de Dusseldorf, na Alemanha, desde o início dos anos 80, e dirigiu o "Teatro Acústico". Os seus alunos actuaram em diversos países e a classe de harpa da Folkwang Musikschule é a maior e a mais premiada da Alemanha.

Cedo se interessou pela situação política do seu país, tendo participado em diversos iniciativas, de que se destaca a vigília de protesto contra a guerra colonial que se realizou na Igreja de S. Domingos, na passagem do ano 1968/69, onde um dos cânticos entoados foi a "Cantata da Paz", com letra de Sofia de Mello Breyner e composição musical de Rui Paz.

Em 1975 entrou para funcionário do PCP, tendo sido responsável pela sua organização em França e na Alemanha.

Membro prestigiado junto da comunidade portuguesa na Alemanha, mas também noutros países, foi eleito em 2003 para Conselho das Comunidades Portuguesas, fazendo parte do seu Conselho Permanente e foi reeleito para o CCP em 2008.

Membro do Organismo do PCP para a Coordenação dos Emigrantes na Europa, pertencia ao Organismo de Direcção Nacional do Partido na Alemanha, organização de que era responsável.

Colaborador da Secção Internacional do PCP, foi autor de diversos artigos, nomeadamente sobre os problemas da situação internacional, divulgados no "O Militante" e no "Avante!".

Profundamente humanista, modesto e discreto, o camarada e amigo Rui Paz deixa-nos recordações de uma vida dedicada à defesa dos direitos das comunidades portuguesas na diáspora, ao reforço da organização do PCP na emigração, uma vida dedicada à luta pela liberdade, a democracia e o socialismo.

A Direcção da Organização na Emigração do PCP, manifesta o seu profundo pesar à sua mulher, filha e restante família.

10 Janeiro de 2013