100 anos Revolução Outubro

2017 logo centenario revolucao outubro cor

Newsletter

Assinar Newsletter


Receber em HTML?

PCP exige a presença da Presidente do Instituto Camões na AR

simbolo_icO Grupo Parlamentar do PCP apresentou hoje na AR um requerimento exigindo a presença da Presidente do Instituto Camões, Drª. Ana Paula Laborinho, para prestar esclarecimentos na sequência das suas declarações, vindas a público e segundo as quais "... o ensino do português para as Comunidades pode acabar em alguns países.". A confirmarem-se estas declarações, o PCP considera-as de extrema gravidade.

 

 

Texto do requerimento assinado pelos deputados do PCP José Soeiro e Paula Santos:

Exmo. Senhor
Presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros e das Comunidades Portuguesa

Segundo notícia da Agência Lusa, difundida no passado dia 15 de Janeiro, a recentemente empossada Presidente do Instituto Camões, Dr.ª Ana Paula Laborinho, terá admitido, nesta mesma data, à margem da Conferência “A Língua Portuguesa e as Relações Internacionais”, onde esteve presente, que “o ensino de português enquanto língua materna pode acabar em alguns países porque o objectivo é a sua integração nos sistemas de ensino no estrangeiro”.
Refere a notícia que a Presidente do Instituto Camões terá dito à Lusa que “…“Isso (fim do português como língua materna) tem de ser analisado caso a caso. Não significa descontinuar em todos os casos. Vamos ter de fazer uma avaliação caso a caso da situação dos países onde o português está e qual a melhor estratégia”” e que “”O objectivo é a integração do português nos sistemas de ensino””.
A corresponderem à verdade estamos perante declarações de extrema gravidade cujo verdadeiro alcance se impõe esclarecer de imediato.
As Comunidades Portuguesas espalhadas pelo mundo não podem ficar dependentes de estratégias dos Países residentes muitos dos quais, como é sabido, têm como principal objectivo a homogeneização linguística e cultural das minorias.
Sendo hoje o Instituto Camões a instituição responsável pelo cumprimento do estipulado na Constituição da República no sentido de “Assegurar aos filhos dos emigrantes o ensino da língua portuguesa e o acesso à cultura portuguesa” as declarações atribuídas à Senhora Presidente deste Instituto adquirem particular gravidade pois são declarações que vão ao arrepio daquilo que deveria ser o pilar estratégico de agregação identitária das Comunidades Portuguesas e luso-descendentes ou seja a promoção e alargamento das Escolas Portuguesas e o desenvolvimento de uma rede qualificada de ensino de português no mundo.
Face ao atrás descrito considera o Grupo Parlamentar do PCP imperioso e urgente uma audição da Senhora Presidente do Instituto Camões, Dr.ª Ana Paula Laborinho, na Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, pelo que vem requerer a V. Ex.ª que diligencie no sentido de que a mesma se concretize com a maior urgência possível.
Com os melhores cumprimentos,

Os Deputados do GP do PCP
José Soeiro 
Paula Santos